ESPECTADOR CONDENADO À MORTE
Compre_aqui
Comemore
Galeria
Comemore
Casar

instagram face2 youtube

ESPECTADOR CONDENADO À MORTE

Setembro 18, 2016 0 Comentarios BLOG DICAS TEATRAIS por Gambiarra

Texto de Matéi Visniec que coloca espectador tem terceira temporada no Teatro do Pequeno Ato 

2

Escrito durante a ditadura romena, “O Espectador Condenado à Morte” aponta falhas da justiça ao retratar uma sessão de julgamento absurda.

Procurador, Defensor, Escrivão e até mesmo o Juiz, todos estão envolvidos em uma intensa disputa para incriminar um réu. Durante uma sessão de julgamento cômica e absurda, eles criam provas e contam com testemunhas pouco confiáveis para convencer um inocente de que ele deve ser condenado à morte. A vítima? Um espectador.

Após duas bem sucedidas temporada, a peça “O Espectador Condenado à Morte” reestreia dia 01 de outubro no Teatro do Pequeno Ato, onde ficará em cartaz até 06 de novembro. 

Escrito em 1985 por Matéi Visniec, o texto foi concebido com o pano de fundo do regime ditatorial romeno de Nicolae Ceausescu, e a dramaturgia traz elementos do Teatro do Absurdo para ilustrar um julgamento que não segue qualquer protocolo e rompe com aspectos morais, éticos e institucionais.

Dirigida por Thiago Ledier, a encenação retrata o absurdo proposto pelo texto por meio de elementos da farsa e da comédia física, e conta com um cenário que retrata um tribunal com objetos cênicos típicos de repartições públicas, onde pilhas de arquivos revelam a ineficiência do sistema judiciário. A peça também utiliza recursos tecnológicos: ao longo da narrativa, pessoas da plateia são fotografadas e apresentadas em um telão como “evidências” que reforçam algumas das teorias apresentadas pelos advogados e suas testemunhas.

O espetáculo provoca a discussão sobre temas urgentes diante da realidade sócio-política brasileira, como intolerância, discursos de ódio, manipulação das instituições em benefício próprio e episódios de justiça com as próprias mãos. E, ao colocar o espectador como protagonista, questiona como a nossa omissão também é responsável pela consolidação de regimes que violam os princípios democráticos e os direitos fundamentais de cada indivíduo.

capa-youtube_PQATO

Sobre o autor:
Conhecido como “o novo Ionesco”, Matéi Visniec é um dos dramaturgos contemporâneos mais elogiados e prolíficos, com peças encenadas em mais de vinte países. Sua obra é marcada pela linguagem do absurdo e do surreal, usada para desviar da realidade na qual ele viveu na Romênia sob a ditadura de Nicolae Ceausescu.

Nascido em 1956, Visniec também é romancista e jornalista. Estudou filosofia na Universidade de Bucareste e começou a publicar seus trabalhos como dramaturgo nos anos 1970, mas sofria com a censura de seus textos na Romênia. Em 1987, pediu asilo político à França, onde vive até hoje.

Sobre a Companhia:
Criada em 2015, a Companhia Teatro da Dispersão é formada pelos atores André Camargo, Cadu Batanero, Caio Balthazar, Drica Czech, Guilherme Iervolino, Patrícia Vieira Costa, Rony Álvares e Vanessa Rodrigues. Com seu primeiro projeto, “O Espectador Condenado à Morte”, o grupo foi contemplado com edital público da Funarte para realizar sua estreia em curta temporada, entre 18 e 26 de junho de 2016, e agora parte para segunda temporada no Viga Espaço Cênico.


Sobre o diretor:

Convidado pela Companhia, o diretor, ator e dramaturgo Thiago Ledier foi membro do Núcleo Experimental, companhia sob direção de Zé Henrique de Paula, onde esteve de 2006 a 2015. Foi assistente de direção e preparador de atores em espetáculos como "Música Para Cortar os Pulsos", texto e direção de Rafael Gomes; em "Gotas D'Água Sobre Pedras Escaldantes", de Rainer W. Fassbinder, direção de Rafael Gomes; em "L'Illustre Mollière", direção de Sandra Corvelloni e em "Se Você Me Amasse", direção de Otávio Martins; e assinou a direção do espetáculo "A Social", de Ricardo Correia, produção da Cia. Artera de Teatro.

SERVIÇO - “O Espectador Condenado à Morte”

Texto de Matéi Visniec

Produção: Companhia Teatro da Dispersão

Sinopse: Durante uma sessão de julgamento absurda, Procurador, Escrivão e até mesmo o Juiz e o Defensor criam provas, manipulam fatos e contam com testemunhas pouco confiáveis para convencer um espectador de que ele deve ser condenado à morte. 

Direção: Thiago Ledier

Elenco: André Camargo, Caio Balthazar, Drica Czech, Guilherme Iervolino, Patrícia Vieira Costa, Raphael Nespule, Rony Álvares, Vanessa Rodrigues

Cenografia e Iluminação: César Bento

Figurinos: Guilherme Iervolino

Sonoplastia: Marcus Couto

Tradução: Fábio Fonseca de Melo

Fotos: Patricia Mattos

Design: Lucas Lage

Produção executiva: André Camargo, Caio Balthazar, Drica Czech, Guilherme Iervolino, Rony Álvares.

Temporada: De 1 de outubro a 06 de novembro; sábados às 21h e domingos às 20h.

Gênero: Comédia.

Duração: 75 min

Classificação indicativa: 14 anos

Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia)

Endereço: Teatro do Pequeno Ato - Rua Dr; Teodoro Baima. 78 / Vila Buarque 

Capacidade: 40 lugares - Tel(11) 3801-1843